Angélica André com histórico quinto lugar

Angélica André, ao ser quinta classificada, garantiu hoje a melhor classificação de sempre na maratona de 10km de Setúbal, etapa da Taça do Mundo/HOSA que se realizou na baía do Sado, junto ao Parque Urbano de Albarquel, cujas vitórias pertenceram ao norte-americano Charles Peterson e à italiana Rachele Bruni.

Na prova feminina, a nadadora portuguesa desde cedo assumiu a liderança da prova e assim se manteve até meio da prova. Perante a forte concorrência, Angélica André quebrou e viria para o fundo do pelotão, mas mais tarde viria a fazer uma extraordinária recuperação. Rachele Bruni passou para a frente e acabaria por vencer com o tempo de 2:05.24,45, seguida da japonesa Yumi Kida com 2:05.34,15 e da húngara Anna Olasz com 2:06.17,95. A atleta portuguesa fez um forcing final, ultrapassando adversárias como a alemã Angela Maurer ou a norte-americana Eva Fabian, terminando num histórico quinto lugar com 2:06.21,05 – a melhor classificação portuguesa na etapa de Setúbal era um sexto lugar de Daniela Inácio em 2008 –, a pouco mais de três segundos da medalha de bronze. Vânia Neves foi 12.ª classificada com 2:08.46,85. Participaram 21 atletas.

Em masculinos, a liderança da prova foi sendo alternada por vários nadadores, mas só solidificou quando o norte-americano Charles Peterson assumiu o comando da prova na quarta volta. Viria a vencer com uma vantagem confortável de 1:54.23,60, à frente do campeão do mundo, o alemão Christian Reichert, com 1:54:47,10. A medalha de bronze foi conquistada pelo norte-americano Alexander Meiyer com 1:55.00,00.

O melhor português foi Rafael Gil que, apesar de ter andado quase sempre nos 10 primeiros lugares ao longo da prova, viria a ceder na parte final, devido a uma falha num restabelecimento, terminando no 18.º posto com o tempo de 1:55.35,20. Seguiu-se Hugo Ribeiro no 28.º lugar com 1:57.00,00, Tiago Oliveira em 46.º com 2:03.45,20 e Vasco Gaspar em 47.º com 2:06.57,70. Participaram 50 atletas.

A temperatura da água rondou os 22 graus ao longo da prova.

Declarações:

 Rachele Bruni (Itália): “Fiz uma prova muito boa. Foi muito importante ter vencido em Setúbal, reforcei a minha liderança no ranking mundial. Era uma etapa que apostava em ganhar e foi isso que aconteceu. O meu objetivo será agora ser campeã do Mundo em Kazan”

Charles Peterson (Estados Unidos): “Foi muito bom vencer aqui. Foi a primeira vez que vim a Setúbal e encontrei excelentes condições e ainda por cima com bom tempo. Depois do nono lugar na etapa da Hungria, foi uma boa oportunidade para mostrar aqui em Setúbal o meu valor. Quero voltar no próximo ano”

Angélica André: “Entreguei-me ao máximo nesta prova e quis ir logo para a frente no início da corrida. Estava a sentir-me muito bem, mas o ritmo aumentou e não consegui acompanhar as da frente nessa fase da prova e fui para trás. Dei tudo na fase final e consegui recuperar muitas posições e acabei por conseguir um lugar acima das minhas expetativas. É um bom sinal para os Mundiais de Kazan”

Rafael Gil: “Consegui terminar nos 20 primeiros classificados, era o objetivo que tinha definido. Poderia ter conseguido melhor que o 18.º lugar, porque falhei um reabastecimento e estive uma volta sem beber. Esta posição poderá dar-me no próximo ano o apuramento para os Jogos Olímpicos que será aqui em Setúbal. É muito importante a aposta que a Federação está a fazer nas águas abertas, dando a oportunidade de participarmos em várias etapas mundiais e provas europeias. Ganhamos quilómetros e experiência e isso poderá ser importante na luta por melhores classificações”

José Machado (Diretor-Técnico Nacional da FPN): “Foi a melhor prestação de sempre da Angélica André e uma das melhores em termos globais. Quando a Angélica acredita que pode lutar pelos primeiros lugares, este é o nível dela, tem atitude, tem um potencial enorme. Conseguiu estar à frente da prova durante muito tempo e depois fez uma fantástica recuperação no final. O Rafael Gil também superou as expetativas e não fosse a falha num restabelecimento teria conseguido melhor. São dois nadadores com grande potencial. Foi uma prestação global muito positiva que nos abre boas expetativas para a qualificação olímpica”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *