Taça PORterra – José Estrangeiro e Catarina Dias vencem em Fátima

José Estrangeiro, do Garmin Olímpico de Oeiras, e Catarina Dias do FET – Fátima Escola de Triatlo, venceram este sábado o III Duatlo de Fátima. A prova principal, a contar para a Taça de Portugal PORterra, realizou-se durante a manhã, já depois da prova Aberta, e ficou marcada pela muita “pedra” e dificuldade no percurso.

Tiago Pinho do CFV, começou por liderar a prova masculina, fez a transição dos primeiros 5000 metros de corrida para os 21000 metros de BTT na primeira posição, mas durante o ciclismo acabou por perder terreno.

Na chegada ao parque de transição para o último segmento de corrida, José Estrangeiro do Garmin Olímpico de Oeiras, Cláudio Paulinho do SFRAA Triatlo e Octávio Vicente da Casa do Benfica em Abrantes, foram os primeiros atletas a chegar à meta, em 1º, 2º e 3º lugares respetivamente, numa prova, em que o calor fez-se sentir durante todo o percurso.

José Estrangeiro venceu em 01:13:22, seguido do Cláudio Paulinho que terminou em 01:13:39, a 16 segundos do primeiro classificado. Octávio Vicente fechou o pódio concluindo a sua prova em 01:13:49.

“Correu bem! Ganhei e quando se ganha corre sempre bem” afirmou José Estrangeiro. “Na primeira corrida, senti alguma falta de ritmo para acompanhar os da frente, portanto, tentei gerir e fazer a 1ª volta mais calma, para na 2ª volta começar a apanhar gente, porque o meu motor agora está um bocado a diesel. Custou-me um bocado a aquecer e a entrar no ritmo”. No entanto, o atleta do Garmin , saiu forte no BTT,  sentindo-se bem, durante todo este segmento. José refere ainda que, “vim cá para treinar principalmente no ciclismo, portanto na bicicleta fui sempre a fundo. íamos quatro no grupo da frente, tentei ir sempre a puxar o mais possível, porque o objetivo era mesmo treinar e fazer um bom treino”. Refere ainda que, “Comecei a sentir alguma dificuldade por parte dos meus colegas, o que estava melhor era o Cláudio Paulinho, houve uma altura que ficámos só os dois e a partir daí, tentámos vir os dois até à transição. Sabia que os outros dois atletas corriam mais do que eu, portanto, tentámos os dois ganhar o máximo de tempo e chegámos isolados à segunda transição. A partir daí, soube , à partida que era mais forte na 2ª corrida que o Cláudio, portanto, acabei por fazer a 2ª corrida relativamente controlada. Estou muito satisfeito!” concluiu José Estrangeiro.

Para este atleta do Garmin Olímpico de Oeiras, o objetivo para este ano é a longa distância. No entanto, irá ainda participar para a semana em Quarteira e fazer alguns triatlos mais curtos, como tem feito estas últimas semanas.

O 2º classificado Cláudio Paulinho, considerou que “a prova correu bastante bem. o 2º lugar foi muito bom. O José mereceu ganhar e está de parabéns”, afirmou o atleta do SFRAA TRIATLO que elogiou o seu colega de equipa. Cláudio Paulinho, termina dizendo que, “o percurso tinha bastante pedra, tinha a sua dureza, a sua técnica, mas faz parte do BTT”.

Octávio Vicente, o 3º classificado desta prova principal, declarou que, “senti-me muito bem na 1ª corrida, finalmente a corrida correspondeu com os treinos que estava a fazer. Na bike tinha feito o reconhecimento antes da prova e sabia que, tinha que forçar ao máximo para que, os mais fortes no BTT não me apanhassem”. O atleta refere ainda que,  sentiu-se bem logo nos primeiros kms, no entanto foi alcançado pelo José Estrangeiro. Considerou que, nunca esperei que o josé tivesse a pedalar tanto, foi sempre a forçar. No final da 1ª volta tentei passar para a frente na zona técnica para ganhar tempo, mas não consegui. Na 2ª volta o José Estrangeiro e o Claudio Paulinho foram mais fortes , mas consegui superar as minhas expetativas”. Para Octávio Vicente, o Xterra da Golegã é o grande objetivo para este inicio de época

O Clube Triatlo Fundão,  neste III Duatlo de Fátima conseguiu arrecadar o triunfo por equipas masculinas, graças às prestações de Hugo Alves (4º), Sérgio Santos (5º) e Miguel Salvado (6º). O Garmin Olímpico de Oeiras, foi o segundo classificado coletivo com José Estrangeiro (1º), Rui Narigueta (7º) e Jorge Duarte (12º) . O SFRAA TRIATLO concluiu o 3º lugar com os atletas, Cláudio Paulinho (2º), Nuno Preciado (19º) e Pedro Pinheiro em (21º).

No sector feminino, Catarina Dias do FET – Fátima Escola de Triatlo venceu a prova em 01:29:50, seguida da atleta do Bike Clube S. Brás, Irina Coelho que terminou em 01:31:54. O 3º lugar coube a Melissa Maia, do AMICICLO GRÂNDOLA que concluiu a prova em 01:32:30.

Catarina Dias, colocou-se na frente da prova logo no inicio da 1º volta no segmento de corrida. Atrás da ainda cadete do FET – Fátima Escola de Triatlo, surgiu Mariana Pombo do Sport Lisboa e Benfica e Irina Coelho do Bike Clube S. Brás. No entanto, na chegada ao parque de transição para darem inicio ao segmento de ciclismo, Mariana Pombo perdeu o contacto com o duo da frente, permitindo a Catarina Dias e Irina Coelho, a oportunidade de se isolarem. No segmento de corrida final, Catarina Dias voltou a acelerar, colocando-se na liderança da prova para não mais a perder. Atrás dela,  surgiu Irina Coelho e na terceira posição , a Melissa Maia, que recuperou o tempo perdido no segmento de BTT , para conseguir alcançar o 3º lugar na chegada à meta.

 

Catarina Dias afirma que “nunca pensei chegar à meta em 1º lugar, visto que houve alguns problemas no percurso que tentei controlar”. A atleta começou a sentir fraqueza nas pernas, além do calor que se fazia sentir. Refere que “tentei hidratar-me, mas como havia muita pedra, não consegui conciliar o bidon com o guiador, mas tentei controlar estas adversidades e foi sempre a andar.” A atleta afirmou ainda, que conseguiu alcançar as suas expetativas ficando muito contente com o 1º lugar alcançado.

“Nunca pensei chegar ao 2º lugar” confidenciou a atleta Irina Coelho. “A semana foi um pouco atribulada, lá em casa estava tudo com viroses, mas tentei superar, apesar de não estar na minha melhor forma. Mas quando percebi que estava bem classificada, dei tudo por tudo até ao fim.” Irina considerou que o percurso “foi muito bom”, visto estar habituada ao BTT, mas ao mesmo tempo duro, porque havia muita pedra. “Queria arranjar ritmo mas não conseguia, porém foi muito bom”. Irina vai ser madrinha de uma prova urbana de BTT no Algarve, ao qual vai participar e o seu objetivo é fazer o melhor que puder nesta época, visto que foi mãe há 7 meses e quer fazer o seu melhor.

Melissa Maia não estava à espera de alcançar o 3º lugar da prova. Afirma que “estive algum tempo parada, o percurso tinha muita pedra, foi difícil , mas senti-me bem”, afirmou.

No setor feminino, o FET – Fátima Escola de Triatlo , alcançou o 1º lugar com as atletas Catarina Dias (1º), Rita Caetano (6º) e Sofia Almeida (7º) . O clube AMA Mêda/GRUPO VALCO/ Progold ficou em 2º lugar com as prestações da Sónia Ramalho (4º), Dora Marcelino (10º) e Isabel Mota (11º), seguido do Clube Triatlo de Abrantes que fechou o pódio, com Mónica Fernandes (12º), Stephanie Oliveira (19º) e Diana Raimundo (20º).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *