Trio português à porta do pódio

Carlos Almeida, Pedro Oliveira e Victoria Kaminskaya classificaram-se na quarta posição nas finais dos 50 bruços, 50 costas e 200 bruços, respetivamente, na Taça de Amesterdão, que terminou esta tarde.

Carlos Almeida registou a marca de 29,03 nos 50 bruços, superior ao recorde nacional absoluto de 28,16 que está na sua posse desde os Mundiais de 2013; Pedro Oliveira cumpriu os 50 costas em 26,07, acima do máximo nacional de 25,78 que pertence a Alexis Santos desde os Mundiais de 2013; e Victoria Kaminskaya obteve a marca de 2.34,61 nos 200 bruços, superior ao recorde nacional 2.29,51 que é de Diana Gomes desde 2005.

Na final dos 200 mariposa, Nuno Quintanilha foi sexto com 2.01,72, acima do máximo nacional de 1.53,39 de Diogo Carvalho desde 2009.

Na final dos 200 livres, Luís Vaz foi sexto com 1.52,16 e Mário Pereira oitavo com 1.52,71. O recorde nacional é de 1.48,98 e pertence a Luís Vaz desde julho.

Durante a manhã, registaram-se ainda os seguintes resultados: 50 costas – 10.º Miguel Nascimento (27,01); 50 mariposa – 16.º Victoria Kaminskaya (28,96); 26.º Ana Catarina Monteiro (29,65); 200 mariposa – 11.º Miguel Nascimento (2.05,95).

Ao longo dos três dias de competição, Portugal conquistou cinco medalhas (2 de ouro e três de prata) e esteve presente em 15 finais, com Diogo Carvalho a garantir os mínimos para os Mundiais de 2015 em Kazan nos 200 estilos com novo recorde nacional absoluto em 2.00,09, marca que lhe permite entrar no Projeto Olímpico Rio-2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *